Estudo indica potencial para instalação de duas mil torres de energia eólica no Piauí

Estudo indica potencial para instalação de duas mil torres de energia eólica no Piauí

Um estudo sobre o potencial eólico do lado piauiense da Serra da Ibiapaba estima a região tenha capacidade para receber mais de duas mil torres para produção de energia limpa. O assunto foi discutido pelo secretário estadual de Mineração, Petróleo e Energias Renováveis, Luís Coelho, em recente encontro com gestores do Ceará, que visou o fortalecimento das relações entre os dois estados. 

“No lado de cá do nosso estado nós temos um trabalho de pesquisa em fase terminal que apontam para a possibilidade de implantação de mais de 2 mil torres, algo em torno de 4 Gigas. É uma previsão para a Serra da Ibiapaba que envolve os municípios de São Miguel do Tapuio, Assunção, Buriti dos Montes e outros municípios da divisa com o Ceará”, disse Luís Coelho, em entrevista divulgada pelo Governo do Estado. 

Os dados mais recentes da Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólicA) apontam que, até o final de novembro de 2016, o Brasil contava com 10,60 gigawatts de capacidade instalada e outros 7,35 GW em construção e contratados. A entidade também estima que 15 empregos são gerados a cada 15 megawatts instalados.

O relatório da entidade coloca ainda o Piauí como o quinto estado em potência instalada, com 808,4 megawatts em operação comercial e outros 60,5 em testes, com um total de 31 parques eólicos. Existiam, até novembro, outros 546,30 MW de potência em construção e mais 432,20 MW contratados para um total de 36 parques. 

O potencial de energia eólica da Serra da Ibiapaba já é conhecido no lado cearense. Em Tianguá (CE), a empresa Casa dos Ventos conta com dois complexos em operação. Dezenas de torres podem ser vistas por quem passa pela BR-222. 

Os resultados preliminares do estudo fazem Luís Coelho acreditar em um ano positivo para o Piauí no setor. “As empresas estão determinadas para investir no estado. Outro ponto é que estamos vendo no início do ano uma aumento na taxa de energia elétrica para o consumidor, com ao aumento das temperaturas e diminuição das chuvas. A opção é fazer que as energias renováveis sejam fundamentais para a geração de energia elétrica. Por isso devemos investir cada vez mais em energias limpas como a eólica e a solar”, acrescentou.

Na mesma reunião, o secretário discutiu com os gestores cearenses a logística de câmbio de mercadorias com a Transnordestina, e o fornecimento de matérias primas piauienses para indústrias siderúrgicas e de materiais químicos. 

Fonte: http://cidadeverde.com/

Outras notícias que talvez lhe interessem

Sítio arqueológico de 12.000 anos é descoberto na Costa Rica

Sítio arqueológico de 12.000 anos é descoberto na Costa Rica

Vestígios arqueológicos de 12.200 anos, os mais antigos da América Central, foram encontrados em uma região do leste da Costa Rica em meio a obras para a construção de uma barragem hidroelétrica...

Evento discute sugestões de alteração nas diretrizes para licenciamento e estudos de impactos ambientais

Os critérios e diretrizes gerais do licenciamento ambiental, definidos pelas resoluções 01/1986 e 237/1997 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), passa por revisão por representantes de...

Energia solar e vento passam hidrelétricas em 25 anos no país, diz estudo

Hoje dependente das hidrelétricas, o Brasil vai ter um salto na geração de energia solar e de ventos (eólica) em 25 anos.

Em 2040, o país deverá ter 43% de sua energia gerada a partir de...

Soluções em meio ambiente
Entre em contato conosco e solicite uma proposta. Temos a solução ambiental ideal para sua empresa.